O trabalho escravo não é caracterizado por meras infrações trabalhistas. Ele é um crime contra a dignidade humana. De acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), 20 milhões de pessoas em todo o mundo são vítimas da escravidão contemporânea.

Na reportagem abaixo, a procuradora do trabalho, Andrea Gondim, comentou os efeitos da portaria 1.129, do Ministério do Trabalho - publicada em outubro e posteriormente derrubada por liminar - que redefiniu o conceito de trabalho escravo.

Além disso, o juiz do trabalho Rodrigo Schwarz abordou a lei 14.946/2013, a Lei Paulista de Combate à Escravidão, aplicada pela primeira vez em uma decisão do TRT da 2ª Região.